Home / Tag Archives: alimentação

Tag Archives: alimentação

Feed Subscription

5 mitos sobre a queda de cabelo no inverno

5 mitos sobre a queda de cabelo no inverno

Especialista explica como alguns cuidados são importantes para evitar esse problema nesta época do ano No fim do outono e no começo do inverno, é comum observar mudanças nos cabelos, especialmente um aumento na queda. Essas estações são caracterizadas por temperaturas mais baixas e menor umidade no ar, o que pode contribuir para o ressecamento do couro cabeludo e dos fios. Além disso, a exposição a ambientes internos aquecidos e a maior frequência de banhos quentes pode agravar a situação, levando à fragilização dos cabelos e aumentando a propensão à queda. Por isso, a tricologista Viviane Coutinho esclarece mitos comuns sobre a queda de cabelo nesta época do ano! 1. O frio é o principal causador da queda de cabelo no inverno? Mito. O frio não é a principal causa da queda de cabelo. O que realmente influência são as mudanças nos hábitos durante o inverno , como banhos quentes, uso frequente de aquecedores e a menor exposição ao sol, que podem afetar a saúde do couro cabeludo e dos fios. 2. Lavar o cabelo com água quente não tem impacto na queda de cabelo? Mito . Água quente pode ressecar tanto o cabelo quanto o couro cabeludo, removendo os óleos naturais que protegem os fios. Isso pode resultar em um couro cabeludo seco e irritado, favorecendo a queda de cabelo. É importante lavar o cabelo com água na temperatura ambiente para manter o equilíbrio dos óleos naturais. 3. O uso de gorros e chapéus causa queda de cabelo? Mito. O uso de gorros e chapéus não causa queda de cabelo, desde que sejam usados corretamente . No entanto, se esses acessórios estiverem muito apertados, podem causar atrito e quebra dos fios. Opte por materiais respiráveis e evite usá-los por períodos prolongados. 4. No inverno é normal perder mais cabelo? Mito . Embora muitas pessoas notem um aumento na queda de cabelo no inverno, isso não deve ser considerado normal. Fatores como baixa umidade, mudanças nos cuidados capilares e dieta inadequada podem contribuir para a queda. Manter uma rotina de cuidados adequada e uma alimentação balanceada pode ajudar a minimizar esse problema. 5. Não é necessário proteger o cabelo do sol no inverno? Mito . Mesmo no inverno, os raios UV podem danificar os cabelos. Além disso, a exposição ao sol ajuda na produção de vitamina D, essencial para a saúde capilar. É importante proteger os fios com produtos que contenham proteção UV e garantir que seu couro cabeludo receba luz solar suficiente. Cabelos saudáveis no inverno Abaixo, Viviane Coutinho lista algumas dicas para manter os cabelos saudáveis no inverno e, assim, evitar a queda. Hidratação adequada: use máscaras e condicionadores hidratantes para combater o ressecamento causado pelo frio e pela água quente. Cuidados na lavagem: lave os cabelos com água morna e evite banhos muito quentes. Use shampoos suaves e adequados para o seu tipo de cabelo. Proteção térmica: sempre aplique protetor térmico antes de usar ferramentas de calor, como secadores e chapinhas. Alimentação balanceada: consuma alimentos ricos em vitaminas e minerais essenciais para a saúde capilar, como biotina, zinco e vitaminas A e C. Evite excesso de calor: diminua o uso de secadores e chapinhas e deixe os cabelos secarem naturalmente sempre que possível. “Compreender a verdade por trás desses mitos e adotar uma rotina de cuidados apropriada pode ajudar a manter seus cabelos saudáveis e bonitos durante o inverno. A queda de cabelo pode ser controlada com as práticas corretas e o cuidado contínuo”, finaliza a tricologista.

Read More »

“Creatina”, saiba para que serve esse suplemento

“Creatina”, saiba para que serve esse suplemento

Você sabe quais são os reais benefícios da creatina? Você usa o suplemento de maneira correta? Confira tudo aqui. A creatina, regulamentada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é um dos suplementos mais populares no momento. Em 2022, ocupou o primeiro lugar na lista de produtos mais vendidos no Mercado Livre. Embora os resultados do suplemento possam ser benéficos, a recomendação de uso varia de acordo com os objetivos, necessidades e características individuais de cada pessoa. Portanto, é essencial buscar orientação médica antes de iniciar qualquer tipo de suplementação nutricional. Para que serve a creatina? A creatina é um suplemento que é especialmente indicado para exercícios de alta intensidade e curta duração. Além de ser um nutriente fundamental na produção de energia para as células musculares. Sua suplementação visa otimizar o desempenho das células musculares durante o treinamento, permitindo que elas executem suas funções de maneira mais eficaz. Além disso, a creatina também contribui para melhorar a eficiência da síntese proteica. Mas, creatina engorda? A creatina pode contribuir para o processo de aumento de massa muscular, pois é armazenada nos músculos e também aumenta o processo de retenção de água nessa área. Conforme pesquisa realizada pelo Departamento de Alimentos e Nutrição Experimental da USP (Universidade de São Paulo), o aumento de massa corporal relacionado à creatina está associado principalmente ao ganho de massa magra. Nesse sentido, a creatina tem o potencial de aumentar a massa muscular do corpo, o que pode se refletir no peso na balança. No entanto, isso não implica necessariamente em um aumento da gordura corporal. Isso se deve ao fato de que a creatina presente em suplementos nutricionais tem um baixo valor calórico e seu efeito está relacionado ao aumento da massa muscular. Como explica o personal trainer Rafael Castro, ” A creatina pode auxiliar no emagrecimento, mas o fator determinante para emagrecer ou engordar é a dieta .” Como usar a creatina para emagrecer? A creatina não é um agente emagrecedor por si só, mas pode potencializar os treinos de alta intensidade, contribuindo indiretamente para a perda de gordura. A combinação de estratégias nutricionais e exercícios físicos é essencial para utilizar a creatina de forma eficaz para emagrecer. A dosagem recomendada é de 3 a 5g diárias, preferencialmente consumida com uma fonte de carboidrato simples para otimizar sua absorção pelas células musculares. Não há um horário ideal para tomar creatina, mas muitas pessoas optam por consumi-la após o treino, quando a sensibilidade à insulina está aumentada. É importante ressaltar que a creatina só contribui para o emagrecimento quando combinada com uma dieta de déficit calórico e exercícios físicos regulares. Sem controle calórico, seu consumo não terá impacto significativo na perda de peso.

Read More »

Saiba as principais causas de espinhas depois dos 40

Saiba as principais causas de espinhas depois dos 40

Não se livrou das espinhas mesmo depois dos 40? Entenda quais podem ser os motivos! A gente sabe como é ruim passar pela fase da adolescência cheio de espinhas no rosto, e passar por isso de novo depois de adulto ninguém merece, né? No entanto, esse fenômeno é mais comum do que se imagina e pode ter várias causas. Compreender as razões por trás do surgimento de acne adulta é importante para desenvolver estratégias eficazes de tratamento e prevenção. O diagnóstico da acne adulta é realizado pelo dermatologista mediante a avaliação dos sintomas, histórico de saúde e uso de medicamentos, além do exame físico da pele para analisar as características da acne. O médico também pode solicitar exames de sangue e dosagem de hormônios, como LH, FSH, testosterona e dehidroepiandrosterona (DHEA), para identificar possíveis alterações que podem causar acne e, assim, recomendar o tratamento mais adequado. Como evitar a acne adulta? A acne adulta é causada por variações hormonais, especialmente em mulheres, que podem aumentar a oleosidade da pele, obstruir folículos pilosos e provocar inflamação ou crescimento de bactérias como a Propionibacterium acnes. Publicidade Fatores que aumentam o risco de acne adulta incluem: Histórico familiar de acne; Acne persistente desde a adolescência; Alterações hormonais durante gravidez, ciclo menstrual ou menopausa; Aumento dos níveis de testosterona; Estresse excessivo; Uso de cosméticos oleosos; Limpeza inadequada ou excessiva da pele; Fumar ou trabalhar em ambientes poluídos; Uso de remédios como corticoides, anabolizantes, antiepilépticos ou antidepressivos. Além disso, uma dieta rica em frituras, carnes gordurosas, produtos lácteos ou excesso de açúcar também pode contribuir para o desenvolvimento da acne em adultos. Como tratar a acne adulta? Cuidados diários são essenciais para tratar a acne em adultos. Isso inclui lavar o rosto duas vezes ao dia com sabonete antisséptico e aplicar tônico facial adstringente após a lavagem para desobstruir os poros. Além disso, é importante usar hidratante não oleoso diariamente, evitar exposição excessiva ao sol e aplicar protetor solar diariamente, mesmo em dias nublados. A esfoliação da pele uma ou duas vezes por semana também é recomendada. É crucial evitar maquiagem e shampoos muito oleosos. Esses cuidados ajudam a reduzir a oleosidade da pele, mantendo-a limpa, combatendo a acne e prevenindo novas espinhas. Alimentação Para tratar a acne em adultos, uma dieta adequada é fundamental. Isso envolve a inclusão de alimentos que ajudam a reduzir a produção de sebo e a inflamação da pele. Recomenda-se consumir peixes, sementes de chia, nozes, sementes de girassol e uma variedade de verduras e legumes frescos. É importante manter-se hidratado, bebendo pelo menos 8 copos de água por dia, e evitar alimentos gordurosos, fritos ou ricos em açúcar. Essas medidas contribuem para melhorar a condição da pele e reduzir a incidência de acne.

Read More »

7 alimentos que melhoram a saúde da pele e dos cabelos

7 alimentos que melhoram a saúde da pele e dos cabelos

Veja como uma dieta equilibrada e saudável pode contribuir para a beleza Ter a pele e os cabelos saudáveis é o sonho de qualquer pessoa. Para isso, muitos acreditam que precisam investir em diversos cremes, óleos e outros produtos de skincare . Contudo, embora esses produtos possam ajudar, uma dieta equilibrada é sempre a melhor alternativa. “Há muitos produtos no mercado, como as máscaras e os cremes de hidratação, que contêm aminoácidos, antioxidantes, ferro, zinco e biotina na composição. Eles são essenciais para a saúde dos fios, por exemplo, mas não agem sozinhos. É preciso contar com a ajuda da alimentação para dar uma força a mais na ação destes produtos”, explica o hair stylist Luigi Moretto. Pensando nisso, listamos 7 alimentos que, quando consumidos, ajudam a nutrir a pele e os cabelos. Confira! 1. Ovo Rico em proteínas, vitaminas e minerais, o ovo ajuda a fortalecer os folículos capilares, promovendo cabelos mais saudáveis e resistentes à quebra. Além disso, por conter vitaminas do complexo B, como a biotina e a riboflavina, estimula o crescimento dos fios e ajuda a manter a saúde do couro cabeludo. Para a pele, é uma fonte rica de colina, que auxilia na manutenção da integridade das membranas celulares, promovendo uma pele mais firme e saudável. Todavia, a nutricionista Gabriela Marcelino alerta que é necessário consumi-lo com cautela. “De uma forma geral, adultos saudáveis podem consumir de 3 a 4 unidades na semana, intercalando com o consumo de outras proteínas, como aves, carnes e peixes. Para quem faz controle de colesterol, deve apenas ficar atento para não exceder o total de colesterol do dia”, recomenda. 2. Cenoura A cenoura é um alimento rico em betacaroteno, um precursor da vitamina A, que ajuda a promover a renovação celular da pele, mantendo-a saudável, e estimula a produção de sebo, um óleo natural presente no couro cabeludo que deixa os fios hidratados. Por ser uma rica fonte de antioxidantes, o legume também combate os danos causados pelos radicais livres, reduzindo os sinais de envelhecimento da pele e fortalecendo os folículos capilares, o que pode resultar em cabelos mais fortes e brilhantes. “Dietas menos inflamatórias diminuem a degradação do colágeno, uma proteína que mantém nossa pele mais firme. Recomendamos frutas ricas em antioxidantes, verduras, legumes e proteínas”, explica a dermatologista Dra. Mônica Aribi. 3. Peixe Os ácidos graxos ômega 3 presentes nos peixes, como salmão, sardinha e atum, fortalecem os folículos capilares e promovem mais brilho aos cabelos. No caso da pele, mantém a hidratação, reduzindo a secura e a descamação. “Os ácidos graxos do tipo ômega 3 são importantes para manter equilíbrio de perfil inflamatório da pele e prevenir doenças inflamatórias como as dermatites, psoríase e acne”, explica a nutróloga Dra. Marcella Garcez. 4. Laranja A laranja é uma fruta rica em vitamina C, um poderoso antioxidante que ajuda a combater os danos causados pelos radicais livres e é essencial para a produção de colágeno, que mantém a elasticidade da pele, reduzindo a aparência de rugas e linhas de expressão. Além disso, contém betacaroteno que, assim como na cenoura, quando convertido em vitamina A pelo organismo, hidrata e fortalece os fios. “Os antioxidantes na dieta podem desempenhar um papel importante na prevenção do envelhecimento da pele e anexos cutâneos, pois são compostos que ajudam a proteger as células do corpo contra os danos causados pelos radicais livres, moléculas instáveis que podem causar estresse oxidativo, que está associado ao envelhecimento prematuro da pele e a uma variedade de problemas dermatológicos”, explica a Dra. Marcella Garcez. 5. Abacate Rico em ácidos graxos essenciais e vitaminas , como as do complexo E, o abacate ajuda a hidratar e nutrir profundamente a pele, deixando-a macia e suave. Quando aplicado nos cabelos, atua como um excelente condicionador natural, deixando os fios mais brilhantes, macios e maleáveis. 6. Brócolis O brócolis é um alimento incrivelmente nutritivo, repleto de vitaminas e minerais que beneficiam tanto a saúde da pele quanto dos cabelos. A vitamina A, por exemplo, promove a renovação celular e ajuda a manter a pele saudável. A vitamina E e o selênio protegem os folículos capilares dos danos dos radicais livres, promovendo cabelos mais fortes e bonitos. 7. Oleaginosas As oleaginosas, como nozes, amêndoas e castanhas, são verdadeiros tesouros quando se trata da saúde da pele e dos cabelos. Esses alimentos são ricos em ácidos graxos essenciais, como ômega 3 e 6, além de vitaminas, minerais e antioxidantes, como vitamina E, zinco e selênio, que fortalecem os cabelos, auxiliam na produção de colágeno e protegem a pele dos radicais livres. Segundo a nutricionista Daniela Medeiro, consumir oleaginosas cruas ou torradas é o mais recomendado. Deve-se evitar comprar castanhas com sal, amendoins com casquinhas crocantes ou amêndoas com cobertura doce. Lembre-se que quanto mais natural, melhor será para a sua saúde. Consulte um especialista É importante destacar que nenhum desses alimentos isoladamente pode ser usado como fórmula mágica para manter a saúde da pele e dos cabelos. Por isso, é sempre recomendado buscar o auxílio de um profissional para uma orientação individualizada, como explica a nutricionista Nádia Neves. “Para obter o efeito desejado, eles [alimentos] devem fazer parte de uma dieta equilibrada e ajustada à necessidade de cada indivíduo”, conclui a especialista.

Read More »

5 mitos e verdades sobre o uso da suplementação de colágeno

5 mitos e verdades sobre o uso da suplementação de colágeno

O colágeno engorda? A suplementação ajuda a combater a flacidez? Essas e outras dúvidas são respondidas por uma especialista em nutrição O colágeno, uma proteína fundamental encontrada em abundância no corpo humano, desempenha um papel crucial na manutenção da pele, ossos e várias outras estruturas corporais. Entretanto, com o avanço da idade, a produção dessa proteína diminui, o que despertou o interesse na suplementação como uma forma de compensar esse déficit. A busca por suplementos dessa proteína na esperança de conquistar benefícios tangíveis para a saúde e a estética tem crescido ao longo dos anos. O corpo humano produz colágeno constantemente, utilizado em diversos processos exclusivos, incluindo a cicatrização e formação de cartilagens. Com o avanço da idade, a produção dessa proteína vital diminui progressivamente, iniciando uma redução de cerca de 1% ao ano a partir dos 30 anos de idade. Essa queda impacta diretamente na integridade e beleza da pele, contribuindo para o surgimento de rugas e flacidez. Uma dieta balanceada, rica em nutrientes e proteínas diversas, pode auxiliar na manutenção dos níveis de colágeno. Ao falarmos da suplementação de colágeno, é comum que apareçam diversas dúvidas sobre os benefícios para a beleza e outros aspectos do organismo. Para ajudar na questão, convidamos a nutricionista da Puravida, Alessandra Feltre, para tirar algumas dúvidas bastantes comuns sobre suplementação dessa proteína. 1. O colágeno engorda? Não! Mesmo contendo calorias, não tem impacto significativo no peso de uma pessoa quando consumido em porções recomendadas. Além disso, o colágeno pode potencialmente auxiliar no processo de emagrecimento devido à sua natureza proteica, que tende a promover uma maior sensação de saciedade, reduzindo assim, a ingestão calórica total. 2. A suplementação ajuda a combater a flacidez? A alegação de que o colágeno combate a flacidez muscular e da pele é contestada por estudos que apontam os exercícios físicos como principais combatentes da flacidez. O colágeno poderia atuar apenas como um mitigador de aspectos visuais desse processo, uma vez que, enquanto os exercícios físicos trabalham ativamente na tonificação muscular e no estímulo de produção de colágeno pelo próprio corpo, o consumo de colágeno através de suplementos não apresenta evidências científicas que confirmem um impacto significativo na melhoria da firmeza da pele e músculos. 3. O colágeno pode ser usado apenas por mulheres? Não, o colágeno é uma proteína intrínseca e vital para todos os seres humanos, independentemente do gênero. Sua função primordial no corpo não é apenas estética, mas também estrutural, proporcionando firmeza e elasticidade à pele, além de desempenhar papéis vitais na composição de tendões, ligamentos e outros tecidos conjuntivos. A variação que ocorre está relacionada à taxa de perda natural dessa proteína conforme os indivíduos envelhecem, um fenômeno que é universal e não isolado a um gênero específico. Portanto, tanto homens quanto mulheres podem e devem considerar a suplementação de colágeno conforme necessário e recomendado por profissionais de saúde. 4. O colágeno ajuda no fortalecimento de cabelos e unhas? Os aminoácidos derivados do colágeno suportam a produção de queratina, a proteína principal encontrada no cabelo e nas unhas. A prolina e a lisina, aminoácidos presentes no colágeno, desempenham papéis diretos na formação da queratina e na saúde dos folículos capilares. Além disso, o colágeno auxilia na hidratação da pele, proporcionando uma base saudável para o crescimento do cabelo e fortalecimento das unhas, evitando que se tornem quebradiças e frágeis. Uma pesquisa significativa neste campo foi realizada por Hexsel D, Zague V, Schunck M, Siega C, Camozzato FO, Oesser S.. O estudo, publicado no Journal of Cosmetic Dermatology, concluiu que a suplementação oral com peptídeos de colágeno bioativos específicos melhora o crescimento das unhas e reduz os sintomas de unhas frágeis. Portanto, a ingestão de colágeno fornece ao corpo os componentes necessários para manter o cabelo e as unhas fortes e saudáveis, como evidenciado por essa pesquisa. 5. O consumo conjugado com antioxidantes tem alguma diferença no organismo? O colágeno é uma proteína fundamental para a pele, articulações, e outros tecidos conjuntivos. Os antioxidantes, por sua vez, auxiliam na neutralização dos radicais livres, moléculas que podem causar danos às células e acelerar o envelhecimento. Assim, os antioxidantes auxiliam na manutenção da integridade dos tecidos, como a pele. Quando se consome colágeno em conjunto com antioxidantes, o intuito é potencializar a utilização desta proteína pelo organismo, uma vez que os antioxidantes podem ajudar a proteger contra possíveis danos ou interferências durante o processo de absorção e utilização pelo corpo.

Read More »

Como manter a imunidade durante período de variação climática

Como manter a imunidade durante período de variação climática

A nutróloga Fernanda Cortez sugere reposição de vitaminas de maneira natural para fortalecer o sistema imunológico Com a constante mudança de temperatura que estamos presenciando em alguns estados brasileiros, nossa defesa corporal pode ficar mais vulnerável. A médica Fernanda Cortez, pós-graduada em Nutrologia pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia) e em Nutriendocrinologia Funcional, explica que o sistema imunológico confere estabilidade para todos os sistemas e órgãos do corpo. Ou seja, é muito importante cuidar da imunidade, mas como fazer isso? A especialista conta como fortalecer o sistema imunológico e, consequentemente, ter mais saúde e resistência às mudanças de temperatura através de alimentos ricos em vitaminas. Confira: Vitamina A : Ajuda na saúde da pele e é possível encontrá-la em alimentos como cenoura, abóbora, espinafre e batata-doce. Vitamina B : As vitaminas B6 e B12 auxiliam muito no reforço da imunidade. Carnes, peixes, ovos, legumes e grãos integrais são ótimas fontes das vitaminas do complexo B. Vitamina C : A famosa vitamina C, encontrada facilmente em frutas cítricas, ajuda a revigorar o sistema imunológico e ajuda na prevenção de doenças. Vitamina D : Além da exposição, com segurança, ao sol, é possível encontrá-la em alimentos como peixes gordurosos, ovos e cogumelos. Vitamina E : Proporcionando ação antioxidante, ela protege as células do sistema imunológico. Amêndoas, sementes de girassol e azeite de oliva são ótimas fontes para obter o reforço da vitamina. A nutróloga alerta que, mesmo com essas instruções, é sempre muito importante buscar orientação de especialistas para avaliar as suas necessidades individuais e, se necessário, garantir uma suplementação adequada.

Read More »

Truques simples para aliviar olhos cansados

Truques simples para aliviar olhos cansados

Trabalhando horas à fio em frente ao computador? Você provavelmente ficará com olhos cansados. Confira algumas dicas para aliviar esse incômodo! É muito fácil ficar com os olhos cansados quando grande parte do nosso dia é passado em frente à tela do computador ou do celular. Principalmente neste período, em que muitas pessoas têm trabalhado em home office, ficando horas seguidas em frente a seus computadores. Dizem que os olhos são as janelas da alma, mas quando trabalham demais podem virar a porta de entrada para a dor de cabeça e a vista embaçada. Olhos cansados: por quê ocorrem? Segure um haltere com a mão estendida. Logo seus músculos ficarão cansados, não é? O mesmo acontece com os olhos quando estão sobrecarregados. Se os músculos oculares (que ajustam o foco das “lentes” dos olhos) não conseguem relaxar, você vai sentir dor ou ter problemas para focalizar objetos. E se você franzir excessivamente os olhos por causa do excesso de luminosidade também sentirá dor. Devo consultar um oftalmologista? Em alguns casos, é possível minimizar os efeitos dos olhos cansados com pequenas atitudes. Porém, se mesmo assim o desconforto continuar, se sua visão estiver muito sensível à luz e se você estiver sentindo tonturas, o indicado é que você consulte um oftalmologista. Se não for esse o seu caso, descanse seus olhos sempre que puder e adapte seu computador e seus hábitos de trabalho a uma vida melhor para os seus olhos. Com essas e outras dicas, você verá que o desconforto passará. Veja mais logo abaixo! Dicas para aliviar o incômodo dos olhos cansados : Fazer pausas Independente da atividade – seja dirigindo, lendo ou trabalhando com telas – é fundamental fazer pausas regulares. Ao dirigir, pare em um local seguro, saia do carro, alongue-se e desvie o foco da estrada. Durante longos períodos de leitura ou uso de computador, aplique a regra 20-20-20: a cada 20 minutos, olhe por 20 segundos para um objeto a seis metros de distância. Em todos os casos, fechar os olhos por 20 segundos ajuda a aliviar o cansaço, pois esse é o tempo médio que os olhos levam para relaxar completamente. Umedecer os olhos Focar em algo por longos períodos pode ressecar os olhos, pois piscamos menos do que o necessário. Lembre-se de piscar durante essas atividades, fechando totalmente as pálpebras. Para casos de olho seco, consulte seu médico sobre o uso de colírios com lágrimas artificiais. Evitar luz azul antes de dormir A exposição excessiva à luz azul inibe a liberação de melatonina, o hormônio do sono, causando um estado de alerta. Evite telas digitais de duas a três horas antes de dormir, permitindo um descanso completo do corpo e dos olhos. Alimentação e hábitos saudáveis Manter os olhos saudáveis ajuda a reduzir os efeitos do esforço diário. Alimentos como cenoura, hortaliças e legumes verdes (brócolis, rúcula e couve) são benéficos para a saúde ocular. Limitar o uso de telas e passar mais tempo ao ar livre também é importante, pois permite que os olhos descansem da luz azul. Posto de trabalho adequado Para quem trabalha no computador, ajustar a postura da cadeira, a altura da mesa e do monitor, bem como a luminosidade da tela e o tamanho da letra, distribui o esforço pelo corpo e alivia a vista. Computadores e smartphones podem ser configurados para filtrar a luz azul com aplicativos que diminuem sua intensidade. Para a saúde do corpo, levante da cadeira e faça pequenas pausas, conforme mencionado anteriormente, olhando pela janela do escritório ou do home office. Focar a visão em objetos a distâncias médias e grandes traz tranquilidade para os olhos e o corpo, necessário para continuar a jornada de trabalho. Consultar um oftalmologista Se a vista cansada persistir mesmo após tomar precauções simples, consulte um oftalmologista, pois pode ser um sinal de uma condição mais grave. Sintomas como dores de cabeça, olhos vermelhos, edema (inchaço), visão dupla ou turva e desconforto podem indicar problemas sérios.

Read More »

8 dicas para manter a tatuagem bonita

8 dicas para manter a tatuagem bonita

Saiba como cuidar da pele nos primeiros dias após fazer sua tattoo Todo mundo que faz uma tatuagem espera manter os traços nítidos e as cores vibrantes. No entanto, para uma maior longevidade da tatuagem é preciso se atentar a alguns detalhes. Segundo Renato Ostrowski, tatuador adepto ao mini realismo e sócio do Unna Studio, o desbotamento da tatuagem depende de diversos fatores, que vão desde a qualidade dos materiais que o profissional usa até os cuidados que os clientes têm no dia a dia. “As tatuagens são feitas diretamente na segunda camada de pele , chamada derme, e essa camada não se renova. Então quando sua pele estiver ressecada a tatuagem ficará mais opaca. Por isso, o processo de tatuagem deve ser pensado justamente a longo prazo, na técnica que se usa, nos materiais e na qualidade do trabalho oferecido”, diz Renato Ostrowski. O tatuador ainda explica que lugares muitos expostos, como mãos e antebraços, precisam de mais cuidados. Para que sua tatuagem fique bonita por mais tempo, o especialista em mini realismo elenca 8 dicas. Confira! 1. Hidrate a pele Para manter a durabilidade da sua tattoo, os cuidados devem ser constantes. Renato Ostrowski aconselha usar diariamente protetor solar após a cicatrização e hidratação da pele. Além disso, deve-se evitar águas de piscina ou de praia no processo de cicatrização da tatuagem, pois o risco de infecção é considerável. 2. Limpe a tatuagem diariamente A região da pele tatuada deve ser lavada de duas a três vezes nos primeiros dias. Esse processo de higienização é muito importante, pois também garante uma cicatrização mais adequada. Durante o banho, evite água em temperatura muito quente, isso porque a água corrente abre os poros e deixa a pele mais propensa a irritação. Além disso, pode fazer sua tatuagem desbotar mais rápido. 3. Evite tomar sol no primeiro mês A exposição da pele recém-tatuada ao sol pode causar alguns problemas na estética, como manchas , desbotamento e até alteração da cor nos desenhos realizados. Por isso, o tatuador Renato Ostrowski aconselha que seja evitada a exposição direta ao sol por pelo menos um mês. “Só deve usar o protetor após a cicatrização, por isso o ideal é aguardar um mês”. 4. Não coce no período de cicatrização Quando a tatuagem está no processo de cicatrização ela tende a coçar muito e formar algumas casquinhas, e embora mude de pessoa para pessoa, a recomendação é sempre a mesma: evite mexer. O profissional adepto ao mini realismo explica que coçar ou arrancar as casquinhas que são formadas pode deixar a tatuagem com os traços deformados, influenciando diretamente na estética da tattoo. 5. Preste atenção na alimentação Durante o período de cicatrização é fundamental evitar comidas que possuem ação inflamatória, como alimentos ricos em gordura, sal e açúcares. “Esse processo dura em torno de 30 dias, então super vale a pena ter uma rotina mais saudável para sua tattoo ficar bonita por muito mais tempo”, recomenda Renato Ostrowski. 6. Tatuagens coloridas e pretas requerem os mesmos cuidados Segundo o profissional, os cuidados são os mesmos. A tatuagem, seja ela preta ou colorida, é um como se fosse um machucado na pele, então o processo de cicatrização segue o mesmo padrão: pele hidratada, higienização, comidas menos gordurosas e nada de sol no primeiro mês. “Esses cuidados manterão a tatuagem com mais vitalidade a longo prazo. Mas tente manter o contato com seu tatuador, e, em caso de dúvidas, o acione”, explica Renato Ostrowski. 7. Evite exercícios intensos O suor excessivo pode criar um ambiente propício para o crescimento de bactérias na área recém-tatuada, o que pode levar a infecções. Manter a área limpa e seca durante os estágios iniciais da cicatrização é essencial para evitar complicações. Além disso, exercícios intensos muitas vezes envolvem movimentos bruscos e repetitivos, que podem causar atrito na tatuagem. 8. Agende retoques quando necessário Com o tempo, é natural que a tatuagem desbote um pouco. Se notar que as cores estão desaparecendo ou as linhas estão borrando, agende uma sessão de retoque com seu tatuador para manter a tatuagem bonita e vibrante.

Read More »

5 hábitos que aceleram o envelhecimento da área dos olhos

5 hábitos que aceleram o envelhecimento da área dos olhos

Dermatologista explica como evitar rugas e linhas de expressão nessa região Genética, exposição solar, poluição, estresse, noites mal dormidas e marcas de expressão, adicione tudo isso e o resultado são “pés de galinha”, olheiras e bolsas ao redor dos olhos. Ninguém está imune ao envelhecimento natural da pele, mas alguns maus hábitos potencializam o quadro de forma substancial. Por isso, a Dra. Paola Pomerantzeff, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, aponta os maus hábitos mais comuns e dá dicas de como evitar e amenizar o envelhecimento precoce dessa região. Confira! 1. Esfregar a área dos olhos É de conhecimento geral que devemos remover toda a maquiagem antes de dormir. Porém, remover não quer dizer esfregar, mesmo que algumas sombras e rímeis à prova d’água sejam teimosos em sair da pele. “Remover a maquiagem de forma indelicada pode causar danos à pele delicada dos olhos, o que pode resultar em olheiras. Utilize um removedor de maquiagem à base de óleo. Uma solução micelar também pode fazer o trabalho sem precisar enxaguar o rosto”, afirma a Dra. Paola Pomerantzeff. 2. Não utilizar cremes Um creme para os olhos é um dos componentes mais importantes da sua rotina antienvelhecimento. Segundo a Dra. Paola Pomerantzeff, a pele ao redor dos olhos é a mais fina de todo o corpo, o que a torna muito mais sensível e suscetível a danos, e, além disso, piscamos milhares de vezes ao dia, ou seja, esse movimento constante gera os primeiros sinais de envelhecimento. 3. Utilizar o creme errado Os cremes para a região dos olhos são distintos e criados para diferentes funções. “Para linhas finas ou pés de galinha, procure um creme que contenha retinol. Para olheiras, o ideal é utilizar cremes que contenham agentes clareadores como vitamina C, alcaçuz e niacinamida; vitamina K e arnica também são eficazes para aliviar o inchaço e melhorar a aparência da descoloração”, explica a dermatologista. No caso dos inchaços e bolsas ao redor dos olhos, além de reduzir o consumo de alimentos salgados e álcool – principais culpados por acúmulo de líquidos sob os olhos –, a médica recomenda utilizar um creme que contenha cafeína. “Ela estimula a circulação e contrai os vasos sanguíneos sob a pele, diminuindo a aparência dos olhos inchados. Como antioxidante, também protege a pele dos danos causados pelo sol”, completa a Dra. Paola Pomerantzeff. 4. Aplicar o creme de maneira incorreta A maneira de aplicar o creme também faz grande diferença. Conforme explica a dermatologista, a maneira correta é: “Depois de lavar o rosto e antes de aplicar o sérum e o hidratante , use uma quantidade de creme para os olhos ou gel do tamanho de uma ervilha. Aguarde alguns minutos antes de aplicar seu protetor solar ou maquiagem para garantir que o produto seja completamente absorvido.” 5. Alimentação errada Um estilo de vida saudável continua sendo a melhor defesa contra os olhos envelhecidos. “Em sua dieta, verifique se há alimentos ricos em nutrientes necessários para a pele mais brilhante e mais jovem ao redor dos olhos: a vitamina K, que incentiva a produção de colágeno e o crescimento de novas células, a vitamina C, que ilumina a pele e previne mais danos, e a vitamina B, que aumenta a produção de ácidos graxos, o que ajuda a pele a reter a elasticidade”, finaliza a dermatologista.

Read More »

A influência da alimentação na saúde da pele

A influência da alimentação na saúde da pele

Especialista ressalta a importância de uma dieta saudável pode contribuir para a saúde global do organismo Uma pele saudável está intimamente ligada com os processos externos como limpar, hidratar e proteger a cútis. No entanto, é importante associar essas práticas ...

Read More »
Scroll To Top